quarta-feira, 19 de outubro de 2011

...





De tudo ao meu amor serei atento antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto que mesmo em face do maior encanto dele se encante mais meu pensamento.quero vivê-lo em cada vão momento e em seu louvor hei de espalhar meu canto e rir meu riso e derramar meu pranto ao seu pesar ou seu contentamento e assim, quando mais tarde me procure quem sabe a morte, angústia de quem vive quem sabe a solidão, fim de quem ama eu possa me dizer do amor (que tive):Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinicius de Moraes, "Antologia Poética", Editora do Autor, Rio de Janeiro, 1960, pág. 96.

2 comentários:

  1. Lindo texto, escrever é algo além de juntar palavras.

    Parabéns pelo blog, continue com seu projeto, estou seguindo!

    dá uma passada no meu e se gostar pode seguir, lá você encontra descrição de bandas clássicas recentes, faz downloads dos lançamentos, ou seja só visitando.

    http://ritmosublime.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. vou sim dá uma passadinha lá e seguir... e muito obrigada pela visita e a critica construtiva, beijos!

    ResponderExcluir